quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

E.s.JC. - p.172

''Senhor, que é o homem para que te interesses por ele, que é o filho do homem para que com ele te preocupes, o homem é semelhante a um sopro, os seus dias passam como a sombra, qual é o homem que vive e que não vê a morte, ou poupa a sua alma escapando à sepultura, o homem nascido de mulher é escasso de dias e farto de inquietação, aparece como a flor e como ela é cortada, vai como vai a sombra e não permanece, que é o homem para que te lembres dele, e o filho do homem para que o visites.

Porém, lembra-te de que pouco menor fizeste o homem do que os anjos, e de glória e honra o coroaste.''




chupa, Senhor.

chupem, anjos.